sábado, 10 de setembro de 2016

Sandra Ornelas

Na sala escura
de olhos fechados
relaxa
sua intimidade
Jardim particular
os dias...
cinzas salpicados
um leãozinho chorando
as tardes...
São de baú
das décadas
fotografias nunca reveladas
as noites...
amigas E algoz
sedutora voraz
como florestas fechadas
lobos famintos
a procura da presa
a noite pode ser armadilha
de aroma envolvente
entre as pernas
a dona
a viúva negra ávida
espera a presa
ser presa
na teia entre taças
a derramar...
sou o fator
o RH
de todos
de um somente
na mente
só ...
Sandra Ornellas ( San).
10 de Setembro de 2016