terça-feira, 13 de julho de 2010

quando voa o condor

Passamos uma vida presos, qual pássaros em gaiolas!
Medo de amar, de olhar a vida de frente...
E, naquele pequeno espaço, cantamos nossas dores e
sonhos!
Muitas vezes, as portas de nossas gaiolas se abrem...
Mas permanecemos ali, acostumados, encolhidos às
nossas vontades e sonhos!
Não tenhamos dúvidas.
Na primeira oportunidade, alcemos o vôo dos falcões:
calmo, confiante, determinado!
Amemos sem medo, brinquemos um pouco com a vida!
Não tenhamos medo dos rochedos e, sobre eles,
estendamos nossas asas corajosas de falcão!
Soltemo-nos ao vento e deixemo-nos levar ao sonho!
Como o condor, tentemos enxergar as pequeninas
coisas à nossa volta e saibamos apreciá-las, dando um
sentido novo às nossas vidas!
Não sejamos passarinhos de gaiola, mas falcões e
condores do céu!