segunda-feira, 21 de novembro de 2016

o bem amado

Vem, amado!
Deixemos de açoitar os segredos,
medos e desejos de nossas mentes.
Apenas deitemos na paz do silêncio sagrado
deste momento.
Soltemos as rédeas dos selvagens cavalos
dessa apressada carruagem.
Esse é o eterno convite do Supremo.


Uda