domingo, 20 de novembro de 2016

o credo que tu me ensinaste

 

Passou o tempo, ficámos nós...
Um semear lento, um tu e eu de palavras,
Pedaços de carta, rasgados ao vento!
Voei, voo e voarei, num laço de gente
numa onda de mar, sou pura semente,
ao sabor da corrente
em meu leve ondular!
Na minha, recebi a tua...
Num passeio de chuva nua,
pinto sorrisos de verão.
Numa face que é só tua...
A minha mão na tua mão
MIKE